Notícias

14 de janeiro de 2019 às 22:17:00

Valdevan Noventa deixa presídio e será monitorado 24h por tornozeleira eletrônica

Habeas corpus foi concedido pelo Supremo Tribunal Federal. Foto: Leonardo Barreto


Valdevan Noventa deixa presídio e será monitorado 24h por tornozeleira eletrônica
Depois de ficar cerca de 38 dias preso na Cadeia Pública Territorial de Estância Tabelião Filadelfo Luiz da Costa no município de Estância, região Sul do estado de Sergipe, o deputado federal eleito Valdevan Noventa, do PSC, ganhou a liberdade na tarde desta segunda-feira, 14, após seu pedido de habeas corpus ser aceito pelo Supremo Tribunal Federal.

Segundo a direção do Departamento do Sistema Prisional de Sergipe, o Desip, Valdevan Noventa deixou o presídio em Estância por volta das 15h em um carro da Polícia Federal e foi levado até Aracaju para colocar a tornozeleira eletrônica e a partir de então passa a ser monitorado 24h por dia pela Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania, a Sejuc.
O deputado federal eleito além de fazer o uso do equipamento de monitoramento também terá que cumprir outras medidas cautelares estabelecidas pelo Juiz da 2ª Zona Eleitoral. Entre as medidas adotadas, Valdevan Noventa terá que comparecer mensalmente à Justiça Eleitoral para justificar as atividades e está proibido de manter contato com qualquer uma das testemunhas inseridas no processo que apura supostas inserções de falsas declarações na prestação de contas da sua campanha eleitoral em 2018.
Relembre o #CasoNoventa
O deputado federal foi preso na companhia de um de seus assessores, o senhor Evilázio Ribeiro (que permanece preso), durante uma operação batizada de "Extraneus" desencadeada pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal no dia 07 de dezembro de 2018. Valdevan e Evilázio foram detidos preventivamente em um restaurante na Orla da Atalaia, em Aracaju.
Valdevan é apontado nas investigações pelo uso de supostos laranjas que teriam supostamente simulado mais mais de 80 doações financeiras para sua campanha eleitoral cuja origem dos recursos ainda são desconhecidas.
Quanto aos assessores do deputado, Evilázio Ribeiro e Karina Liberal, os mesmos permanecem detidos preventivamente e segundo informações veiculadas na tarde desta segunda-feira, 14, os advogados só devem retornar a defesa do caso após o fim do recesso do Poder Judiciário que acaba no dia 20 de janeiro de 2019.

Redação Factual 1


Colunistas