Notícias

22 de fevereiro de 2019 às 20:52:43

Servidores do Hospital Amparo de Maria ameaçam entrar em greve dia 28


Servidores do Hospital Amparo de Maria ameaçam entrar em greve dia 28
Com três meses sem receber os salários, servidores do Hospital Amparo de Maria, localizado no município de Estância, ameaçam entrar em greve a partir do próximo dia 28. A decisão da categoria foi definida após assembleia geral na manhã desta sexta-feira, 22.

Segundo o Sindicato dos Servidores da Saúde de Sergipe (Sintasa), no dia 27, os servidores farão um ato na porta da Unidade de Saúde para reivindicar o pagamento dos salários. “Só iremos suspender a greve caso haja o pagamento dos três meses. Se pagar apenas um mês a greve permanecerá”, conta o diretor do sindicato, Adailton dos Santos.
Ainda de acordo com o Sintasa, o 13º salário do ano de 2018 não foi pago e esse também é um dos critérios para a greve, além da falta de material que já afeta o atendimento do hospital. “Queremos que seja regularizado essa questão do 13º. Nosso trabalho esta penalizado, pois vários setores do hospital já estão comprometidos pela falta de material”, revela Adailton.
SES
A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que está rigorosamente em dia com o Hospital Amparo de Maria, de Estância. Nesta sexta-feira, 22, a SES fez o repasse referente aos meses de novembro e dezembro de 2018, além de uma parte do passivo. O valor total do repasse foi de R$ 1.377.954,82.
A Secretaria lembra que já efetuou o pagamento de mais de R$ 10 milhões à unidade hospitalar. O contrato celebrado entre o Amparo de Maria e a SES é de R$ 1,5 milhão ao mês. Nos três primeiros meses deste contrato, foram pagos o teto, sem observar a produtividade, uma forma de ajudar a unidade hospitalar para que ela regularizasse a situação junto aos funcionários e prestadores de serviço.
A partir do quarto mês, segundo o acordo, o pagamento seria por produção. Em Novembro o valor foi R$ 490 mil e Dezembro R$ 729 mil, o que não representa nem 50% do contrato. Questão de pagamento dos funcionários e fornecedores, não tem nada a ver com a secretaria. Isso é competência do Hospital.
Por Adson Santana

Colunistas