Notícias

6 de maio de 2019 às 22:46:42

Nota do PSOL de Estância sobre as Diretrizes da Política de Alianças Partidárias nas Eleições 2020


Nota do PSOL de Estância sobre as Diretrizes da Política de Alianças Partidárias nas Eleições 2020
O Brasil vive a experiência de um governo de extrema direita, que vorazmente trabalha para destruir nossa soberania e se colocar aos pés do imperialismo norte-americano, contra os direitos do povo brasileiro.

Organizar o povo e mobilizar as bases sociais, acreditando na juventude, será a saída para construir a resistência. As lutas, por mais difíceis que sejam, precisam ser travadas com o protagonismo de novos atores dos setores estruturantes da sociedade, que são os mais oprimidos e marginalizados pelo sistema. Nesse sentido, estaremos firmes atuando diariamente na construção da resistência.

No campo político, os partidos de esquerda e a oposição a este governo sem projeto de país precisam ter a clareza necessária de buscar a unidade programática e democrática para barrar sucessivos ataques. Para isso, é necessário buscar diálogos que possibilitem também saídas eleitorais capazes de demonstrar, já em 2020, uma relação concreta com musculatura política nas disputas municipais em todo o país.

Em Estância, cidade de resistência em tempos de chumbo, de tradição operária e de estimulo ao livre pensamento, nunca teve um governo democrático, independente e popular à frente de seu destino e do Paço Municipal. Precisamos de um projeto de cidade para resgatar a importância de nosso povo na construção de perspectivas no campo econômico, cultural e desenvolvimento sustentável e social para as próximas gerações de estancianas e estancianos.

A principal tarefa do PSOL de Estância para 2020 é apresentar o partido como polo aglutinador desse processo. Após 03 (três) disputas sucessivas, 2008, 2012 e 2016, o PSOL está credenciado a pavimentar um caminho que cada vez mais colabore de forma ousada e articulada para consolidar um polo integrado de forças progressistas locais representantes da oposição ao governo federal de extrema direita, que após 120 dias apenas já tem desmotivado e decepcionado muitos eleitores que depositaram sua confiança, sobretudo aqui em Estância.

O PSOL possui a pré-candidatura a prefeito mais bem posicionada da oposição, encabeçada pelo estanciano, lutador social, policial militar, bacharel em ciências econômicas e pós graduado em gestão pública, Márcio Souza. O partido também tem a possibilidade real de ocupar pela primeira vez o Parlamento Municipal. Tem crescido muito a aceitação de nosso projeto municipal de renovação política nos bairros periféricos e nas Zonas Rural e Praiana, como também entre os trabalhadores do campo e da cidade, entre as lideranças comunitárias e religiosas, nos setores médios independentes, como profissionais liberais, autônomos e empreendedores, e sobretudo na juventude.

Por isso, cabe ao PSOL estabelecer os diálogos estratégicos para viabilizar vitórias importantes para o povo estanciano. É necessário avançar, mas reconhecemos a importância das diretrizes partidárias utilizadas nas Eleições de 2008, 2012 e 2016, porque propiciaram o caminho que garantiu a preservação de nossa identidade, de nosso programa e de nossa tradição de luta. Assim, refutamos desde já qualquer aliança eleitoral com partidos da direita, tais como: PSL, MDB, PSDB, DEM, PR, PRB, PTB, PSD, PSC, SD e PP.
Executiva Municipal do PSOL Estância/SE

Nossa aliança eleitoral não será “com todo mundo”, mas sim com os partidos de oposição ao governo federal de extrema direita, sendo possível ampliar somente quando o dialogo envolvendo seções partidárias locais demonstrarem acordo com o programa de nossas campo político, em contraposição às suas direções nacionais e estaduais.
Por fim reafirmamos nosso compromisso com o desenvolvimento social e sustentável de Estância, com os trabalhadores, com os oprimidos, com a juventude, com os setores médios, com a promoção da dignidade humana e com as lutas por direitos.
Estância/SE, 06 de maio de 2019.

Colunistas