Notícias

21 de agosto de 2019 às 21:39:07

Nota de Repúdio do SINDSEME à bancada de Gilson Andrade na câmara


Nota de Repúdio do SINDSEME à bancada de Gilson Andrade na câmara
O Sindicato dos Servidores Públicos de Estância e Arauá (Sindseme) vem a público manifestar seu repúdio à manobra de enganação aos servidores da saúde protagonizada pelo vereador Misael Dantas (PSC), líder do prefeito Gilson Andrade na Câmara de Vereadores de Estância (CVE), e o presidente da Câmara, vereador André Graça (PSL).

Os parlamentares pediram a retirada de um requerimento que cobrava a vinda da secretária de administração para prestar esclarecimentos aos servidores da saúde com a alegação de que levariam a pauta diretamente ao prefeito. O fato aconteceu diante de um quadro de trabalhadores que se mobilizaram na Casa Legislativa e provocaram a intervenção dos vereadores Tito Magno (PSB) e Artur Oliveira (PT), autores da iniciativa.

Ao visualizarem a galeria lotada pelos servidores, que cobram do prefeito o cumprimento da promessa de envio do projeto que altera o vínculo da categoria de celetistas para estatutários, os vereadores resolveram pedir o recuo, mas não retornaram à diretoria do Sindseme com a informação da nova data de envio do projeto à câmara. Nesta terça-feira, 20, o sindicato foi surpreendido com a notícia de que o requerimento seria recolocado em pauta, sem a pressão anterior dos servidores que no dia de hoje não foram informados da retomada do documento em pauta e portanto não tiveram tempo suficiente de mobilização para acompanhar a discussão em torno deste.

Como resultado da manobra, o projeto foi reprovado e só obteve os votos de Tito Magno, Artur, Dionísio Neto (Rede) e Chica do Fato (PMB). Toda a composição restante, formada pelos parlamentares Cristóvão Freire (PSB), Dode (SD), Edivaldo da Praia (SD), Léo de Fá (PSDC), Pedro Benjamin (Cidadania), Sandro de Bibi (Republicanos), Sérgio da Larissa (PSD), Tertuliano de Nilton Pereira (Republicanos), Zé da Paz (PSDB) e Misael Dantas (PSC), os quais votaram contra e comprovaram a tentativa de desestabilização da pauta almejada pelos trabalhadores da saúde. O Sindseme e a população de Estância já haviam entendido a má vontade e a falta de compromisso de Gilson Andrade, mas esperava da Câmara de Vereadores, no mínimo, a sensatez esperada pela sociedade no papel parlamentar de fiscalizar e mediar soluções para os problemas enfrentados pelo povo estanciano.

O episódio é revoltante, mas não é o suficiente para frear a luta do Sindicato dos Servidores Públicos de Estância e Arauá, que nos próximos dias estará novamente nas ruas e nos órgãos denunciando a falta de compromisso de Gilson Andrade somada à conveniência da sua bancada na Câmara de Vereadores.


Ascom - #SindsemeNaLuta

Colunistas