Notícias

30 de novembro de 2019 às 16:05:53

Funcionários do HRAM ainda aguardam pagamentos em atraso

Com salários do ano passado atrasados, eles estão à espera de proposta.


Funcionários do HRAM ainda aguardam pagamentos em atraso

Sem receber os salários dos meses de julho, agosto, setembro e o décimo terceiro do ano passado, os funcionários do Hospital Amparo de Maria (HRAM), em Estância, estão esperançosos quanto ao recebimento desse passivo. Na última assembleia, os trabalhadores decidiram que irão aguardar o pagamento do salário de novembro até o dia 6 dezembro e, também, a apresentação de uma proposta por parte do novo interventor do hospital antes de decidir por nova greve.

Janderson Alves, gerente do Sindicato dos Trabalhadores na Área de Saúde de Sergipe (Sintasa), relembra que, devido ao atraso de salários, os servidores do hospital paralisaram suas atividades por cerca de 60 dias, mas, com a entrada do novo interventor Paulo Daltro, e o pagamento do salário do mês de outubro, houve a suspensão do movimento grevista.

“Como o novo interventor mostrou um planejamento para a gente, tem conversado e apontado que quer resolver a situação dos trabalhadores, nós demos esse voto de confiança e resolvemos suspender a greve. Ele disse também que tem conversado com o secretário de Saúde e com o governador sobre o retroativo, por isso, resolvemos esperar até o quinto dia útil do mês, que é 6 de dezembro para o pagamento de novembro e uma proposta do retroativo, férias e décimo. Havendo ou não o pagamento, iremos fazer uma nova assembleia, no dia 9, para decidir os próximos passos”, relatou.

O novo interventor do HRAM, Paulo Daltro, explicou que, quando assumiu a unidade no dia 22 de outubro, reuniu os profissionais e sinalizou sobre a importância de reabertura do local, pois, apesar de receber recursos públicos para atender pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o hospital também realiza acolhimentos privados, mas fechado, ele não tinha como produzir e, consequentemente, captar recursos.

“Com essa fala, voltamos a funcionar e me comprometi em ir atrás de uma antecipação de recursos para pagar os salários e assim fiz. Dia 31 foi pago o salário de outubro e, em novembro, quero pagar o salário do mesmo mês. Assim, já estamos com 29 dias de serviço ininterrupto, onde já realizamos mais de 200 partos e 400 atendimentos. Conseguimos retornar alguns exames e consultas e, em dezembro, pretendemos retornar com os outros exames que ainda estão paralisados e, assim, atender o contrato com o Estado em sua plenitude. O hospital está finalmente ganhando vida e corpo”, disse.

Daltro acrescentou também que, sobre os débitos, ontem, 27, houve uma roda de conversa com o governador para buscar uma solução para este problema. “Na segunda daremos continuidade a esta conversa. O governador é compreensível com a situação e tudo se encaminha para que a gente consiga alinhar com o Estado para pagar os atrasados. Lembro que o Estado não deve nada ao hospital, pelo contrário, o hospital é que está inadimplente, pois não conseguiu atender ao contrato em sua totalidade, mas estamos trabalhando para que em dezembro consigamos atender o que está acordado”.

O interventor reforça que os salários de novembro, assim como as férias e o vale transporte, devem ser quitados a partir da próxima semana. “A perspectiva é positiva de quitação de débitos e de manter o hospital em atendimento. O que implica é o passivo, não é por falta de esforços, não é uma dívida causada por mim, mas tenho o ônus e essa responsabilidade de quitar. Compreendo que a melhor maneira de retornar e assegurar o funcionamento daqui para a frente é manter o hospital aberto, pois, ele fechado, acaba impactando na manutenção dos empregos, e nós vivemos de produção, sem produção gera débito e débito leva perspectiva de fechamento e é o que não queremos”, finalizou.


Por: Grecy Andrade


Colunistas