Notícias

14 de junho de 2017 às 22:38:45

Exclusivo: Vitima de bala perdida em Estância fala pela primeira vez sobre o ocorrido

Vitima já prestou depoimento ao Delegado Regional Alan Faustino, responsável pela investigação.


Exclusivo: Vitima de bala perdida em Estância fala pela primeira vez sobre o ocorrido
" Eu nasci de novo ". É assim que si sente uma das quatro vitimas atingida por bala perdida na noite do último domingo, dia 11, em praça pública e no meio de uma multidão que prestigiava a XXIII Cavalgada de Santo Antônio, depois que um homem identificado por uma testemunha como Talles Henrique, de 23 anos, surgiu armado e efetuou vários disparos na tentativa de acertar contas com um desafeto.

A tentativa de acerto de contas acabou atingindo quem não tinha nada haver, entre as quatro pessoas feridas está a manicure Márcia Cristina, de 41 anos, moradora do bairro Bonfim, que na hora do ocorrido estava na companhia de uma amiga entre a Igreja do Rosário e o Banco do Brasil, ambos na Praça Orlando Gomes, centro de Estância.
No inicio da tarde desta quarta-feira, dia 14, quatro dias depois da tragédia, a manicure mãe de uma jovem decidiu falar pela primeira vez a um veículo de comunicação e recebeu em sua residência a equipe de jornalismo do site Factual 1, com quem conversou com exclusividade. Segundo Márcia Cristina, 41 anos, a mesma ao ouvir os sons dos disparos confundiu o barulho com bombas juninas até sentir uma forte alfinetada na região do glúteo (bunda) e ao passar a mão no local da dor percebeu a correria e que os sons eram na verdade disparos de arma de fogo e que havia sido baleada.

" Deus foi tão misericordioso comigo que no meio da confusão e mesmo ferida eu me mantive calma. Deus me deu uma nova chance, por que mesmo eu sendo atingida a bala pegou em um lugar que me permitiu hoje está aqui hoje pra poder contar ", relatou a autônoma.
Poucos minutos após o ocorrido, Márcia Cristina foi socorrida pelo namorado e um amigo sendo encaminhada para o Hospital Regional Jessé Fontes, onde recebeu os primeiros socorros e poucas horas depois foi liberada mesmo com a bala alojada para seguir para casa. De acordo com a vitima, o cirurgião que fez os socorros justificou que a retirada do projetil poderia provocar outros riscos naquele momento. Em casa Márcia passa a maior parte do tempo sentada ou deitada, mas após ter prestado depoimento ao Delegado Regional Alan Faustino, terá que ir ao Instituto Médico Legal para realizar exames de corpo de delito.

Questionada sobre o que espera daqui pra frente no caso a vitima responde de forma objetiva - " Eu peço justiça pois uma menina de 16 anos acabou perdendo a sua vida e nós talvez não poderíamos está aqui para contar nada. Espero que à justiça faça ele pagar na cadeia por tudo que fez ", desabafou.

O atirador assassino ainda segue foragido e qualquer informação sobre Talles Henrique, de 23 anos, pode ser repassada ao Disk Denúncia 181.
Redação Factual 1

Colunistas