Notícias

25 de janeiro de 2020 às 00:21:23

Lesados em R$ 2 mil, Agentes de Saúde são alvos de propaganda fake do prefeito Gilson Andrade

Atual prefeito é também candidato à reeleição.


Lesados em R$ 2 mil, Agentes de Saúde são alvos de propaganda fake do prefeito Gilson Andrade
O Sindicato dos Servidores Públicos de Estância e Arauá (Sindseme) acompanha com extrema preocupação as recentes ‘fake news’ divulgadas pelo marketing do prefeito Gilson Andrade com o objetivo de enganar os servidores públicos, em especial aos agentes de saúde e endemias. A categoria, que vem sendo lesada com a perda salarial total de R$ 2.460 após uma atitude massacrante do gestor, está revoltada com a veiculação de uma propaganda em que a administração de Gilson tenta passar a ideia de entrega de direitos obrigatórios travestidos de benefícios.

Na publicação veiculada pelo marketing maldoso de Gilson, consta que os servidores receberão o pagamento de um suposto novo piso salarial a partir deste mês, quando, na verdade, o prefeito tem descumprido desde o início de 2019 um acordo feito pela gestão anterior junto ao Sindseme e retirado R$ 205,00 dos vencimentos das categorias, totalizando um débito de R$ 2.460 com cada um dos trabalhadores.

“Gilson Andrade dá com uma mão e tira com a outra. Ao afixar o valor do piso salarial dos agentes, ele promove um retrocesso, visto que o acordo anterior envolvia um pagamento superior ao piso nacional. Isso não é valorização e os trabalhadores deixam de receber mais de dois mil reais graças ao prefeito”, exclamou o presidente Carlito Lemos.

Como se não bastasse o desrespeito e a desvalorização salarial, Gilson ainda fez questão de propagar como ‘conquista’ a disponibilização de uma gratificação anual para compra de equipamentos básicos de segurança. Os itens, que deveriam ser fornecidos gratuitamente e sem algum tipo de maquiagem midiática, foram divulgados como uma grande benesse para categoria e tudo isso numa mesma publicação enganosa.

Apesar do retrocesso e dos constantes ataques às categorias e ao sindicalismo em Estância, a diretoria do Sindseme, por meio do seu presidente Carlito, vem a público exclamar que haverá luta. “Nós avisamos: haverá luta. A prefeitura deve aos agentes R$ 205,00 mensais e cobraremos até o fim desse governo”, pontuou o presidente.


Por Ascom Sindseme


Colunistas