Notícias

28 de junho de 2020 às 20:40:05

SINDSEME cobra novas medidas de proteção à saúde dos servidores em Estância

por Ascom Sindseme


SINDSEME cobra novas medidas de proteção à saúde dos servidores em Estância
A diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos de Estância e Arauá (Sindseme) se reuniu com a secretária de Administração de Estância, Tereza Roselange, para sugerir novas medidas de proteção dos trabalhadores da rede pública durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O encontro contou com as presenças da presidente em exercício, Simone Rocha, e do dirigente Marcos Souza, enquanto representantes do sindicato.

Na oportunidade, os sindicalistas apresentaram o documento contendo 13 medidas consideradas essenciais pelo Sindseme para a proteção e manutenção da saúde dos servidores públicos. O documento havia sido aprovado em reunião virtual realizada entre os membros da diretoria sindical durante o mês de maio e já havia sido oficializado junto às gestões de Estância e Arauá com o intuito de ser efetivado o mais breve possível.

De acordo com Simone Rocha, o momento atual é crítico, ainda mais com a chegada do período frio e chuvoso. "A tendência é aumentar os números de casos de pessoas com gripes, resfriados e, consequentemente, falta de ar. Com isso, os nossos hospitais podem vir a ter superlotação, o que é extremamente complicado para o estágio de pandemia que vivemos", argumenta.

Para ela, este momento coloca em evidência também a necessidade de atuação e de cobrança firme das instituições, a exemplo do que tem feito o Sindseme. “Não ficaremos omissos e não deixaremos de fazer as reivindicações necessárias para a proteção da saúde dos servidores e dos seus locais de trabalho.

As medidas sugeridas pelo Sindseme, são as seguintes:
1 - Medição de temperatura dos servidores nas repartições;
2- Estabelecimento da escala de trabalho; 3- Implantação de ponto facultativo para a redução da circulação de servidores e munícipes, exceto nos serviços essenciais; 4- Testagem dos profissionais que atuam na linha de frente; 5- Discutir, no comitê de crise, a possibilidade de Lockdown;
6- Distribuição de EPI's apropriados por tipo de atividade; 7-Instalação de barreiras de acrílico onde for mantido atendimento presencial; 8- Capacitação dos servidores sobre o Covid-19; 9- Desinfecção nos órgãos públicos enquanto durar a pandemia; 10 - Manutenção das medidas de distanciamento social; 11- Não administração, por parte da prefeitura, do uso da cloroquina no tratamento da doença, conforme recomenda o Governo Federal;
12 - Manutenção da defesa do Sistema Único de Saúde (SUS).

Colunistas